Curso de Filosofia da UCPel abre comemorações dos 65 anos

O curso de Filosofia da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) completou 65 anos no dia 18 de março. Inúmeras atividades serão realizadas ao longo do ano para celebrar a data. A primeira ocorreu na segunda-feira (19) com a inauguração de um laboratório destinado a ensino e pesquisa. Uma conversa com um dos homenageados da noite também foi promovida.
(Clique na imagem para ver outras fotos)

A comemoração iniciou com uma missa de celebração, realizada na Capela do Campus I e ministrada pelo Arcebispo Metropolitano de Pelotas e Chanceler da UCPel, Dom Jacinto Bergmann. Na ocasião, o arcebispo destacou a coincidência da celebração ser realizada no Dia de São José. “São José é conhecido como justo e a justiça é um ato filosófico porque busca a verdade“.
 
Na sequência, professores e alunos se reuniram para a inauguração do laboratório que, além de reunir o acervo histórico do curso, promoverá o desenvolvimento de pesquisas e projetos. O espaço recebeu o nome de “Laboratório de Ensino e Pesquisa em Filosofia Professor Osmar Schaefer (LEPFIL)”. Conforme a coordenadora do curso de Filosofia da UCPel, professora  Adriane da Silva Machado Mobbs, Schaefer foi escolhido pela contribuição que prestou ao desenvolvimento do curso.
 
Outro nome importante para a história da graduação foi lembrado e homenageado na celebração. A sala 414C, que abriga o LEPFIL, recebeu o nome de “Padre Aldo Sérgio Lorenzoni”. Por 56 anos, padre Aldo foi professor titular do curso. Segundo Adriane, os homenageados representam o agradecimento a todos os professores que ajudaram a construir os 65 anos de história. “O curso só existe graças aos alunos e professores que passaram por aqui”.
Apesar de não estar presente na cerimônia, padre Aldo se manifestou através de uma carta lida pelo ex coordenador do curso, professor Enir Cigognini. “Sinto-me honrado e agradecido pelo nome que dão à sala. Mas o nome é secundário. O que merece aplauso é a decisão de criar o espaço e o destino que ele tem”. 
A importância da filosofia dentro de uma universidade e na vida das pessoas também foi destacada por Lorenzoni em sua manifestação. “Sem filosofia, coração de uma universidade, a própria teologia corre o risco de dialogar sobre enigmas e não buscar o mistério de Deus. E a medicina, por exemplo, se volta contra a vida, que ela jurou defender e guardar”, complementou. 
A opinião do ex professor foi reforçada pelo diretor do Instituto Superior de Formação Humanística da UCPel, Dom Ricardo Hoepers. Para ele, a filosofia se dá no diálogo, na leitura, na partilha das ideias e o novo espaço propiciará isso, sendo um projeto de resgate da paixão pelo saber. “A inauguração do laboratório é um marco na história da UCPel. Será um local de convergência do saber, não só filosófico, mas aberto a todas as áreas do conhecimento”.
Da mesma forma, a Pró-Reitora Acadêmica da UCPel, professora Patrícia Haertel Giusti, falou sobre o significado do curso e do novo espaço para a universidade. Para ela, a inauguração do laboratório e a homenagem ao professor Osmar é a concretização de um sonho que foi incansavelmente buscado pela coordenação do curso. “O nome do laboratório tem relação direta com o objetivo do espaço, que é trabalhar com ensino e pesquisa através de diversos autores e filósofos”, afirmou. 
Na conversa com alunos e professores, Schaefer se mostrou emocionado com a homenagem, que para ele foi um ato de generosidade. Por cerca de meia hora, relembrou pessoas e fatos marcantes da história e destacou a proximidade que ainda mantém com o curso. “Quando se trabalha apaixonadamente, os retornos são sempre novas chegadas. Essa foi como todas as outras que vivi desde 1972, quando cheguei à UCPel”. 
O homenageado ainda reafirmou a importância do trabalho que ao longo do tempo foi sendo aperfeiçoado e, através de perguntas, interagiu com a platéia. Como tornar presente os 65 anos de história foi uma das reflexões abordadas por ele. “A memória está sempre voltada para o passado e, de certo modo, ela faz com que o passado se torne presente, quando assumimos o papel de protagonistas na história”. Assim como as outras autoridades presentes na celebração, Schaefer também falou sobre o padre Aldo, considerado por ele a coluna mestre na história da graduação em Filosofia da UCPel. 
Redação: Manuelle Motta
 

foto da notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *