Inauguração de laboratório marca os 65 anos do curso de Filosofia da UCPel

O curso de Filosofia da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) completa em março 65 anos de história. Para marcar a data será inaugurado, na próxima segunda-feira (19), um laboratório que disponibilizará o material reunido ao longo das seis décadas. Na sequência, uma conversa com o professor Osmar Schaefer vai relembrar os principais momentos vivenciados pelo curso.
 
A programação alusiva aos 65 anos iniciará com o descerramento da placa de inauguração do laboratório, localizado na sala 414C, do Campus I. O espaço, que cumpre uma exigência do Ministério da Educação, reunirá o acervo histórico do curso, como periódicos, publicações e livros didáticos. Conforme destaca a coordenadora da graduação em Filosofia, professora Adriane da Silva Machado Möbbs, o local terá o objetivo de fomentar a pesquisa e possibilitar que os acadêmicos tenham acesso a esse material, além de permitir que projetos sejam desenvolvidos, o que contribuirá no aprendizado. 
Na conversa com o professor Osmar Schaefer, realizada logo após a inauguração, na sala 410C, a história do curso será relembrada. Schaefer foi professor da UCPel por quase duas décadas e em suas aulas, conforme lembra Adriane, sempre incentivou a pesquisa e o ensino em Filosofia, relação esta que o laboratório buscará fazer. Além disso, o professor está entre os primeiros doutores em Filosofia do Rio Grande do Sul que residiam em Pelotas.
Para celebrar os 65 anos, outras atividades serão realizadas ao longo de 2018. Para maio já está programada a palestra “De solilóquios à hermenêutica de si mesmo – via Aurélio Agostinho à Alteridade / Ipseidade de Paul Ricœur”,   com o professor Antônio Minghetti. 
Estrutura
A Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, fundada em 1953 por Dom Antônio Zattera, foi a precursora da UCPel. Ao longo do tempo passou por inúmeras adaptações, resultando na atual estrutura, que é composta pelo Instituto Superior de Formação Humanística (ISFH), responsável pelos cursos de Filosofia, Teologia e Pedagogia.
Em 2017, já sob a coordenação da professora Adriane da Silva Machado Möbbs, mudanças ocorreram no curso de Filosofia. O Bacharelado passou a ter durabilidade de três anos e a Licenciatura, com duração de quatro anos, passou para o turno da noite. Segundo destaca ela, a nova matriz curricular visa formar profissionais para o exercício da docência e da pesquisa. “Queremos formar pessoas atentas às mudanças da sociedade e habilitadas não apenas para a atuação profissional, mas para o exercício da cidadania e para a construção de uma sociedade melhor”.
Para o futuro, a professora prospecta um curso que se renova constantemente, priorizando a formação humanística de qualidade. Segundo Adriane, a graduação em Filosofia estimula análises críticas da sociedade, das relações sociais e do cenário político-econômico, o que resulta na formação de profissionais capazes de resolver problemas com pensamento crítico, criatividade, capacidade de julgamento e tomada de decisões. “A nossa intenção é uma formação integral, que visa não apenas a formação do profissional, mas do sujeito, desenvolvendo-o integralmente para o exercício da cidadania e da alteridade”.
 
Como novidade, o curso oferecerá já no segundo semestre de 2018 o Bacharelado na modalidade Ensino a Distância (EaD). Diferente do que ocorre no presencial, o formato híbrido será desenvolvido através de eixos temáticos, com quatro encontros presenciais no semestre. “Vamos apostar em novas metodologias e novos instrumentos de avaliação, como a síntese filosófica, abrindo mão da tradicional prova”, complementa a coordenadora.

Redação: Manuelle Motta

foto da notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *